top of page

3 Princípios Fundamentais do Trabalho de Constelação Familiar


Nossos próprios ancestrais: como reparar a dor do passado que está viva dentro de nós


E se você pudesse rastrear a causa de sua ansiedade, barreiras à prosperidade financeira, desafios de saúde ou dinâmica de relacionamento frustrante até algo que aconteceu em sua linhagem?

Tive a sorte de aprender e agora ensinar o Trabalho de Constelação Familiar, uma tecnologia milenar, que foi criada e formalizada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger , para o mundo moderno.


O Trabalho de Constelação Familiar Sistêmica é uma cura geracional. O trabalho apoia a resolução de traumas hereditários e padrões familiares. Ele orienta o sistema familiar em direção à totalidade, revelando padrões que muitas vezes estão além da percepção consciente.


Quando nascemos, não herdamos apenas a nossa fisiologia, mas também herdamos padrões de comportamento familiar que podem ter sido transmitidos por gerações.


  • O trabalho de constelação permite que os indivíduos liberem

  • Desafios

  • Padrões familiares disfuncionais

  • Barreiras à alegria, liberdade, saúde e prosperidade


O Trabalho de Constelação Familiar é fenomenológico*. É altamente experiencial, o que torna difícil explicar em palavras ou compreender completamente apenas através de conceitos.


Existem três princípios fundamentais que orientam uma sessão de constelação:


“ A alma maior se move em apenas uma direção, que é unir aquilo que foi separado. —Bert Hellinger


1) Pertencimento


Todos têm o direito de pertencer. Quando um membro de uma família é excluído, o campo relacional, o Campo do Conhecimento, conforme descrito no trabalho com constelações, fica perturbado. Estas perturbações são transportadas pelas gerações futuras como doenças físicas e mentais, desafios de relacionamento e barreiras para entrar plenamente na vida. Esses padrões se repetem até que a totalidade do sistema familiar seja restaurada.


2) Pedido


Cada pessoa num sistema familiar não só tem o direito de pertencer, como também tem o seu lugar certo na ordem do sistema familiar. Esta ordem correta permite que o fluxo do amor se mova livremente. É conhecido como Ordens do Amor. Quando um sistema familiar está desordenado, há um efeito cascata que altera a capacidade de uma família funcionar como um sistema saudável. Por exemplo, uma criança pode estar inconscientemente no lugar dos pais ou um irmão pode estar agindo fora da ordem de nascimento.


3) Reconhecimento


O impacto de afirmar a verdade atua como um ajuste energético da alma, semelhante ao da quiropraxia. Reconhecer “o que é” estimula mudanças dentro da família que apoiam o pertencimento e a ordem correta. Somos capazes de carregar o que nos pertence e liberar o que não nos pertence. O reconhecimento no trabalho com constelações pode ocorrer através de mudanças energéticas sutis, contato visual e uso de “palavras de cura” que atuam como remédios para fortalecer a alma e despertar nossa consciência. Vemos que a verdade realmente nos liberta.


O Trabalho de Constelação Familiar é o trabalho de nos tornarmos inteiros juntos. A Teoria e Estrutura Relacional Sistêmica que desenvolvi ao longo de anos de estudo e prática é o que considero uma parte importante do novo paradigma: O fim da separação.


O paradoxo é inerente à verdade


O paradoxo suaviza os limites da nossa mente pensante. Esse abrandamento nos leva mais fundo na verdade interior, reconectar-nos com nossos ancestrais para que possamos andar no lugar deles por tempo suficiente para nos compreendermos.


No trabalho com constelações, aprendemos que somos apenas seres individuais juntos. Esta é a soberania relacional. Estamos programados para nos conectar. E, paradoxalmente, o futuro exige que nos reconectemos com os nossos antepassados, para que possamos caminhar no seu lugar o tempo suficiente para nos compreendermos. Pois nós somos eles e eles somos nós.


Somos o legado da nossa linhagem e podemos trabalhar com o passado no presente para mudar o futuro.


Agende seu atendimento.







0 visualização0 comentário
bottom of page