top of page

A luta diária (ou vôo)!

Atualizado: há 3 dias



Um dos melhores conselhos que já recebi foi de um mestre de cavalos. Ele me disse para ir devagar para ir rápido. Acho que isso se aplica a tudo na vida. Vivemos como se não houvesse horas suficientes no dia, mas se fizermos cada coisa com calma e cuidado, faremos tudo mais rápido e com muito menos estresse. – Viggo Mortensen

Vivemos em uma sociedade em ritmo acelerado. A partir do momento em que acordamos até que nossa cabeça bate no travesseiro, estamos pulando de uma tarefa para a outra, comendo em qualquer lugar, preocupando-nos com o que não fizemos e estudando o máximo que podemos em nossas horas de vigília. Quantos de vocês disseram “simplesmente não há horas suficientes no dia”?


Essa frase aparentemente inocente, na verdade diz ao seu corpo que você está cronicamente com pouco tempo. Cada vez que você pensa assim, promove a resposta primária ao estresse de lutar ou fugir como se você estivesse fugindo de um tigre. Tanto no dia atual quanto no Pleistoceno, seu corpo grita. Eu preciso me mexer AGORA MESMO! Embora o estresse de terminar sua lista de tarefas não seja fatal, seu corpo ainda reage como se houvesse algum tipo de ameaça iminente. Esse estado crônico de estresse elevado pode sobrecarregar seu corpo e aumentar o risco de doenças cardíacas, diabetes, enfermidades e fadiga extrema.


Por que o estresse causa fadiga? Primeiro, vamos aprender um pouco sobre as glândulas supra renais. Suas glândulas supra renais são pequenos cones de aparência robusta que ficam no topo de cada um de seus rins. Eles são responsáveis ​​pela liberação de epinefrina e norepinefrina os hormônios de luta ou fuga bem como esteróides que nos ajudam a controlar a glicose e a pressão sanguínea. Quando relaxadas, as glândulas supra renais zumbem com eficiência, mantendo o açúcar no sangue, a pressão arterial e os níveis de sódio e potássio no sangue em equilíbrio. Quando estamos imediatamente estressados, no entanto as glândulas adrenais entram em alta velocidade elas contraem os vasos sanguíneos, desviam o sangue do intestino e em direção às pernas e braços, aumentam a função pulmonar, dilatam os olhos e aumentam a frequência cardíaca. Todos nós já sentimos aquela respiração rápida e batimentos cardíacos depois de um quase acidente. Também demorou um pouco para se acalmar. Eram suas glândulas supra renais respondendo ao estresse.


Agora imagine aquela respiração acelerada e batimentos cardíacos cada vez que você se sente apressado para fazer algo. Com que frequência isso acontece para você? De vez em quando? Todos os dias? Várias vezes ao dia? Nosso corpo está constantemente se preparando para uma luta. As glândulas supra-renais tornam-se hiperativas com o estímulo constante. As glândulas supra-renais hiperativas levam ao aumento da retenção de sódio e água, aumento da pressão arterial, elevação do açúcar no sangue, problemas digestivos, quebra de proteínas e supressão do sistema imunológico.


Isso aumenta o risco de hipertensão, diabetes, ganho de peso, perda de músculos, rins estressados, doenças ou enfermidades e fadiga extrema, às vezes crônica.


O que você pode fazer se já estiver no caminho da fadiga adrenal? Aqui estão algumas dicas de nutrição que ajudarão a colocar seu corpo de volta nos trilhos:


  1. Vitamina C:  As glândulas supra renais usam mais vitamina C do que qualquer outro órgão do corpo. Quando estamos sob muito estresse, aumentar a quantidade de vitamina C pode ajudar a reduzir o estresse interno no corpo.

  2. Vitaminas B:  todas as vitaminas B atuam sinergicamente juntas nas vias que produzem energia para o corpo. Isso torna as vitaminas B essenciais para ajudar no combate à fadiga. Além disso, as vitaminas B são importantes para o funcionamento ideal do sistema nervoso. O estresse sobrecarrega o sistema nervoso e a ingestão adequada de vitaminas B pode ajudar a manter o tecido nervoso saudável.

  3. Ômega 3:  os ácidos graxos ômega-3 ajudam a proteger o delicado revestimento de nossos nervos e a controlar a inflamação no corpo. O estresse constante aumenta o risco de doenças inflamatórias, como doenças cardíacas e diabetes, o ômega-3 pode ajudar a combater o efeito do estresse.

  4. Proteína: a proteína é o bloco de construção do corpo, sejam neurotransmissores ou tecido muscular. Ambos ficam comprometidos em momentos de estresse prolongado. Aumentar a proteína durante períodos de estresse pode reduzir a degradação de proteínas vitais no corpo.

  5. Suplementos de ervas:  a única ressalva aqui é que você deve conversar com seu médico antes de tomar qualquer suplemento de ervas. Adaptógenos fitoterápicos, como manjericão sagrado, ginseng, ashwaganda e rodiola, mostraram efeitos positivos no combate ao estresse e à fadiga adrenal. Verifique com seu médico se algum deles pode ser adequado para você.

Todos nós adoraríamos ter mais tempo. Infelizmente, sempre teremos apenas 24 horas por dia.


Então, como podemos aproveitar esses 1.440 minutos? As dicas de nutrição acima são um ótimo começo. Mais importante ainda, é preciso lidar com o estresse excessivo e crônico. Aqui estão algumas dicas adicionais para começar a reduzir seu estresse diário:


  1. Descanse:  manter uma rotina de sono consistente, ter um sono de qualidade e fazer pausas para descanso quando necessário pode ajudar muito na redução do estresse. Quando estamos bem descansados, nosso corpo pode se curar e nossa mente pode se acalmar.

  2. Meditação e Yoga:  Ambas as práticas ajudam a nos centrar, nos acalmar e nos atrasar. O ato de desacelerar realmente nos dá a percepção de que temos mais tempo, reduzindo nosso estresse.

  3. Ria e divirta-se:  quem pode ficar estressado quando está realmente rindo e se divertindo? Assista ao seu comediante favorito, ligue para um amigo engraçado ou ria de um erro bobo que você cometeu. Não devemos levar a vida tão a sério às vezes.

  4. Exercício:  Qualquer exercício que você goste, seja correr, musculação ou passear com o cachorro, irá liberar substâncias químicas benéficas em seu corpo e reduzir seu nível de estresse.

  5. Pensamentos positivos:  amigos negativos e seus próprios pensamentos negativos podem realmente aumentar o seu estresse. O pensamento positivo pode reduzir o estresse e até mesmo mudar sua atitude em relação aos fatores estressantes.

  6. Reduza os estressores da melhor maneira possível:  não podemos reduzir todo o nosso estresse, e um pouco de estresse pode ser uma coisa boa! Mas às vezes uma avaliação real de todos os seus compromissos e obrigações pode ser reveladora. Abandone os estressores que não significam nada para você e mantenha aqueles que são mais importantes. Esses são os seus bons estressores que valem o descanso extra, as risadas, os exercícios e as refeições saudáveis ​​de que você precisa!




0 visualização0 comentário
bottom of page