top of page

Butirato, um aliado natural na prevenção e saúde do câncer



Ser diagnosticado com câncer é esmagador. Embora todos nós saibamos que é uma possibilidade que podemos enfrentar um dia, todos nós esperamos que isso não toque nossas vidas ou a vida de nossos entes queridos. No entanto, quando esse medo se torna realidade, é crucial reunir todas as ferramentas e recursos que pudermos para enfrentá-lo de frente. Dado que menos de 5% dos cânceres são hereditários por natureza, isso significa que há muitas coisas que podemos controlar em termos de risco de câncer, particularmente o que comemos ou bebemos. Os alimentos certos podem fazer mais do que apenas prevenir doenças; eles podem se tornar atores-chave no processo de cura. É por isso que é crucial ver a comida não apenas como nutrição diária, mas como uma parte vital de um kit de ferramentas anticâncer.


Nos últimos anos, o butirato começou a ganhar atenção nos círculos científicos por seus benefícios substanciais para a saúde. O butirato é um ânion de ácido graxo de cadeia curta (SCFA) que é produzido quando as bactérias em nosso intestino digerem e fermentam a fibra. A fibra é encontrada em alimentos à base de plantas e é indigestível para nós, mas não para esses micróbios.


Na verdade, nossas bactérias intestinais prosperam na fibra, decompondo-a e produzindo butirato como subproduto. Este butirato é então usado como fonte primária de energia pelas células do nosso cólon.


Consumir plantas e fibras cria um ciclo de feedback positivo: quanto mais fibras e alimentos à base de plantas você consome, mais bactérias benéficas vivem em seu intestino e mais butirato e outros SCFAs são produzidos. Consequentemente, as células do seu cólon se tornam mais saudáveis e robustas. Embora saibamos sobre a existência do butirato há mais de um século, somente nas últimas duas décadas começamos a aprender sobre seus amplos benefícios para a saúde, estendendo-se muito além do intestino e desempenhando um papel importante em vários sistemas do corpo.


Sistema Digestivo


Dado o fato de que o butirato se origina no intestino, o sistema digestivo naturalmente colhe muitos benefícios desse composto. O butirato é crucial na manutenção da integridade do revestimento intestinal, desempenhando um papel fundamental na prevenção de condições como a síndrome do intestino com vazamento. Quando o revestimento intestinal permanece intacto, evita o vazamento de partículas de alimentos não digeridas para a corrente sanguínea, evitando a inflamação potencial e uma cascata de problemas de saúde relacionados.


O butirato também serve como alimento vital para as células do cólon, garantindo que elas permaneçam saudáveis e funcionem de forma ideal. Embora isso possa parecer um pequeno detalhe, seu impacto é de longo alcance. Primeiro, o butirato tem sido associado a uma redução nos efeitos colaterais gastrointestinais comumente associados aos tratamentos convencionais contra o câncer, como náusea e mucosite. Além disso, desempenha um papel significativo no gerenciamento de condições como Síndrome do Intestino Irritável (SII), doença de Crohn e colite ulcerativa, todas as quais podem aumentar o risco de câncer. Esses efeitos protetores e regulatórios do butirato contribuem para seu potencial reconhecido na proteção contra o câncer de cólon, ressaltando sua importância tanto na saúde digestiva quanto na prevenção do câncer.


Sistema imunológico


Alguns dos benefícios mais empolgantes do butirato são vistos em relação ao sistema imunológico. De muitas maneiras, isso não é surpreendente porque 70% do sistema imunológico está localizado no intestino, e a maioria das intervenções que beneficiam o intestino também beneficia o sistema imunológico. Vários estudos mostraram que o butirato modula a inflamação e o sistema imunológico.


Mais especificamente, parece regular positivamente como e onde as células imunes viajam dentro do corpo e como interagem com outras células ou tecidos.


Os efeitos a jusante do impacto do butirato no sistema imunológico são vistos de muitas maneiras. Demonstrou-se que induz apoptose (morte celular) em células cancerosas e previne metástases.


Além disso, parece que o butirato aumenta a eficácia dos tratamentos convencionais contra o câncer. Por exemplo, estudos mostraram que o butirato aumenta a eficácia da radioterapia, aumentando a sensibilidade das células cancerígenas à radiação; isso permite que doses potencialmente mais baixas de radiação sejam usadas, poupando tecido saudável e reduzindo os efeitos colaterais. Além disso, outros estudos mostraram que o butirato aumenta a eficácia de vários tipos diferentes de quimioterapia, como irinotecano e 5-fluorouracil. Assim, se os tratamentos convencionais forem considerados necessários, é importante ter nutricionistas experientes trabalhando com você que reconheçam o papel de substâncias como o butirato em seu sistema imunológico e na jornada geral de cura.


Sistema Neurológico


O eixo intestino-cérebro é uma rede de comunicação que liga o intestino e o cérebro, permitindo que eles enviem sinais um para o outro. Por esse motivo, o butirato demonstrou ajudar nosso cérebro de várias maneiras: reduz a inflamação cerebral, que pode retardar ou prevenir danos ligados a doenças como Alzheimer e Parkinson. Além disso, assim como o butirato ajuda as células do cólon, também parece ajudar e fornecer energia às células do cérebro, melhorando assim a memória e a aprendizagem.


Na pesquisa, o butirato também demonstrou melhorar o humor, o estresse, a ansiedade e a depressão. Isso é especialmente importante porque o câncer e os transtornos de saúde mental estão inextricavelmente ligados devido aos altos níveis de estresse e incerteza que um diagnóstico de câncer traz. Por exemplo, pessoas com câncer são 2,7 vezes mais propensas a experimentar ansiedade em comparação com a população em geral, e até 24% dos pacientes com câncer estão clinicamente deprimidos. Mas o butirato pode ajudar. Estudos mostraram que o butirato pode aliviar os sintomas da depressão e diminuir o estresse e a ansiedade.


Sistema metabólico


O butirato desempenha um papel fundamental no gerenciamento da energia do corpo e na manutenção da saúde intestinal, e ajuda a regular o equilíbrio energético geral do corpo através da ação de micróbios intestinais. Pesquisas mostram que a menor produção de butirato está ligada a doenças metabólicas como diabetes, e estudos descobriram que pessoas com diabetes e obesidade geralmente têm menos bactérias produtoras de butirato em seus intestinos. No entanto, muitos estudos mostram que adicionar butirato à dieta pode ajudar a reduzir a inflamação, melhorar a forma como o corpo usa açúcar e ajudar na perda de peso.


De forma mais ampla, adotar uma dieta rica em frutas, vegetais e fibras é a chave para manter um peso saudável e reduzir o risco de câncer. Numerosos estudos apoiam a ideia de que um aumento na ingestão de alimentos à base de plantas e fibras reduz significativamente a probabilidade de câncer e outras doenças crônicas. Isso é verdade por muitas razões, principalmente por causa do butirato. Os alimentos à base de plantas também estão cheios de fitoquímicos anticâncer, como glucosinolatos e carotenóides, e seu consumo ajuda a prevenir a obesidade, que é uma condição inflamatória e pró-câncer. De forma alarmante, a maioria de nós não atende às nossas necessidades diárias de alimentos à base de plantas, com apenas 1 em cada 20 pessoas nos EUA consumindo a quantidade recomendada de fibra. Assim, abraçar uma dieta rica em alimentos à base de plantas não apenas promove a produção de butirato, que é benéfica para a saúde metabólica, mas também equipa o corpo com nutrientes essenciais para prevenir e combater o câncer. Para obter mais informações sobre como alimentos específicos à base de plantas demonstraram combater condições como o câncer de mama.


Metabolismo Butirato e Intra-Tumoral


Entre os SCFAs, o butirato recebeu atenção especial por suas propriedades de combate ao câncer. Ajuda o sistema imunológico do corpo a reconhecer e combater células cancerígenas de forma eficaz e aumenta a atividade das células natural killer (NK), que ajudam a combater tumores. Também altera a atividade gênica (epigenética) para que as células imunes respondam melhor a ameaças como o câncer .


O butirato também desempenha um papel importante no microambiente tumoral (TME), ou na área ao redor de um tumor, incluindo os vasos sanguíneos circundantes, células imunes, moléculas de sinalização e a matriz extracelular. Este ambiente desempenha um papel crítico na forma como um tumor cresce, se espalha e responde aos tratamentos. O butirato pode impactar o TME alterando o comportamento das células imunes e a produção de substâncias dentro desse ambiente, potencialmente tornando-o menos propício para o crescimento do tumor. Pode induzir um processo conhecido como autofagia, onde as células limpam suas partes danificadas e estimulam a produção de citocinas anti-inflamatórias, que podem reduzir a inflamação e inibir o crescimento do tumor.


A microbiota intestinal e a TME são sistemas intimamente ligados, cada um afetando a composição e a função um do outro. Quando a microbiota intestinal não é saudável, possivelmente devido à baixa produção de substâncias como o butirato, pode afetar negativamente o quão bem os tratamentos contra o câncer funcionam. Isso acontece porque uma microbiota intestinal não saudável pode interferir na resposta imune do corpo tanto ao câncer quanto ao tratamento. Alguns micróbios no TME podem até bloquear a capacidade do sistema imunológico de combater o câncer, ajudar o câncer a resistir ao tratamento, alterando a forma como as drogas funcionam no corpo e produzir substâncias nocivas que promovem o crescimento do câncer e enfraquecem a defesa imunológica do corpo, levando a tratamentos menos eficazes do câncer.


Além disso, o papel protetor do butirato na manutenção do revestimento intestinal é fundamental para prevenir a transição de micróbios nocivos do intestino para o local do tumor, um processo que pode exacerbar o desenvolvimento do câncer. Uma microbiota intestinal prejudicada, marcada pela produção insuficiente de butirato, pode levar à interrupção das funções imunológicas normais e promover a disseminação do câncer para órgãos distantes, conhecidos como metástase. Portanto, nutrir um microbioma intestinal saudável através da dieta não é apenas benéfico para a saúde digestiva, mas também é uma defesa estratégica contra o crescimento e metástase do câncer. No geral, devido a essas poderosas propriedades de combate ao câncer, o butirato é certamente uma estratégia que vale a pena explorar para pacientes que procuram complementar seu tratamento do câncer e melhorar seu processo geral de cura.


Como Obter Butirato Naturalmente


Embora a suplementação possa ser benéfica, não é a solução completa para aumentar os níveis de butirato no corpo. Para realmente abordar as questões subjacentes, especialmente aquelas relacionadas à saúde metabólica, é essencial identificar e abordar a causa raiz da disfunção, que muitas vezes está em nossos hábitos alimentares. Os suplementos devem ser considerados um complemento, não um substituto para, uma estratégia dietética abrangente que promova a saúde geral e a função intestinal.


A transição para os tipos de alimentos que naturalmente aumentam a produção de butirato e o foco em uma dieta rica em diversos alimentos à base de plantas é fundamental. Alimentos ricos em fibras, como frutas, vegetais, legumes e grãos sem glúten, são particularmente benéficos. Cebolas, alho, bananas, raiz de chicória e alho-poró são ótimos para estimular a produção de butirato. Além disso, incorporar cerca de duas colheres de sopa de ghee diariamente pode ser benéfico, pois o ghee contém ácido butírico, uma fonte direta de butirato. O Ghee pode ser facilmente integrado à sua dieta usando-o como óleo de cozinha para refogar ou assar legumes ou até mesmo mexendo no seu chá da manhã para um impulso cremoso.




0 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page