top of page

Câncer de cabeça e pescoço | Recaída

A análise de certas características tumorais permite avaliar seu grau de agressividade e o risco de possíveis recaídas.

Grau de diferenciação

No exame do fragmento do tumor retirado na biópsia (peça operatória), o patologista analisa no microscópio as características da célula maligna. Quanto mais parecida com a célula normal ela for, dizemos que ela é mais diferenciada; quanto mais distorcida sua arquitetura, mais indiferenciada. Tumores mais diferenciados costumam crescer mais lentamente e apresentar menor risco de metástases e recidiva.

Tamanho

Tumores com mais de 5 cm têm maior probabilidade de atingir os vasos sanguíneos ao seu redor e invadir os linfonodos do pescoço.

Invasão dos vasos sanguíneos

Quando o exame microscópico evidencia a presença de células malignas no interior dos vasos sanguíneos que nutrem o tumor, a probabilidade de recidiva aumenta.

Invasão dos linfonodos cervicais

É um fator prognóstico muito importante, porque permite avaliar o risco de disseminação. A presença de metástases em linfonodos cervicais pode duplicar a probabilidade de recidiva.

 Uso de fumo e/ou álcool

Vários estudos confirmaram que o risco de recidiva é maior em pacientes que continuam a fumar e/ou beber durante e depois do tratamento do tumor primário. Além desse risco, eles têm até 4% de probabilidade de desenvolver outro tumor primário a cada ano.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page