top of page

Terapia Com Ozônio Intravenoso

Atualizado: 19 de fev.




Todos os cânceres, independentemente da localização ou estágio, têm algo em comum. As células cancerígenas não têm oxigênio e usam uma forma de metabolismo não oxigênio para sobreviver. Além disso, quando as células cancerígenas são expostas a altos níveis de oxigênio, isso pode matá-las. A terapia médica com ozônio é uma das várias terapias que podem ser utilizadas para os pacientes oncológicos.


O que é ozônio?


Quando você faz essa pergunta à maioria das pessoas, a resposta delas seria gás de ozônio ou a camada de ozônio na atmosfera que é infamemente associada à poluição. Esta resposta está longe de ser a verdadeira resposta. O gás de ozônio é na verdade oxigênio puro e, quando usado como terapêutico, é um poderoso oxigênio superalimentado. Em outras palavras, todos nós sabemos que o oxigênio sozinho é um tratamento médico muito valioso, o ozônio é muito melhor.


O gás ozônio ocorre naturalmente e muitas vezes é identificado por seu odor único. Você pode notar esse cheiro logo após uma tempestade. O ozônio é produzido durante tempestades e também em cachoeiras. O ozônio é três átomos de oxigênio, O3 versus a maneira como o oxigênio existe no ar, que é O2. Essa é a única diferença. No entanto, o terceiro átomo de oxigênio é muito instável.


Depois de entrar no corpo, ele perde aquele terceiro átomo que se liga a radicais livres, bactérias, vírus e mofo prejudiciais. O ozônio é, portanto um poderoso antioxidante com inúmeros benefícios para a saúde.


O ozônio foi descoberto em 1786 e criado pela primeira vez em um laboratório alemão em 1840. Em 1873, descobriu-se que quando qualquer microrganismo, como bactérias, vírus, tuberculose e difteria, foi exposto ao gás de ozônio, ele morreu.


O ozônio tem uma longa história de uso. O ozônio tem a capacidade de desativar organismos patogênicos, tornando-o um poderoso desinfetante. Nikola Tesla criou e patenteou o primeiro gerador de ozônio em 1896. Desde então, tem sido usado como um purificador de água seguro e eficaz. Durante a Segunda Guerra Mundial, os médicos usaram o ozônio topicamente para tratar feridas infectadas. A pesquisa ainda está encontrando aplicações médicas novas e mais amplas para seu uso.


Qual é o papel do oxigênio no tratamento do câncer?


Células saudáveis normais são aeróbicas. Isso significa que eles metabolizam oxigênio e glicose em energia. As células cancerosas, no entanto, são anaeróbias e funcionam apenas na ausência de oxigênio. Eles criam energia por meio da fermentação, que produz ácido láctico. A presença de ácido láctico reduz o pH celular, o que, por sua vez, termina a capacidade do RNA e do DNA de controlar a divisão celular. As células cancerígenas são capazes de proliferar sem controle.


Otto Warburg, um fisiologista e médico alemão que já referi sobre ele em outros textos, recebeu o Prêmio Nobel em 1931 por sua pesquisa sobre a relação entre oxigênio e células cancerígenas. Ele provou que a falta de oxigênio no nível celular leva ao desenvolvimento de câncer. Sua pesquisa provou que as células cancerígenas usam uma forma de metabolismo não-oxigeno, que a medicina chama de fermentação, a fim de sobreviver. As células cancerígenas não são como as células saudáveis normais. A maneira como eles metabolizam e criam energia para sobrevivência e multiplicação é única e bastante perigosa.


Dr. Warburg descobriu que a causa raiz do câncer é a deficiência de oxigênio, que cria um estado ácido no corpo humano. Ele também descobriu que uma célula cancerígena não pode sobreviver em um ambiente com altos níveis de oxigênio.


O que é Terapia com Ozônio IV?


A o ozônio IV é o processo de infusão de ozônio medicinal em sua corrente sanguínea através de uma solução intravenosa. Isso cria um ambiente rico em oxigênio no corpo, inundando as células cancerígenas. A administração IV é a maneira mais eficaz de infundir ozônio no corpo. O ozônio beneficia ainda mais o paciente com câncer estimulando a desintoxicação, melhorando o fluxo sanguíneo, diminuindo a inflamação, melhorando o sistema imunológico, fortalecendo as células saudáveis, aumentando a eficácia dos glóbulos brancos, aumentando a energia e matando patógenos no corpo.


Como O Ozônio Beneficia Pacientes Com Câncer?


O ozônio tem algumas propriedades interessantes, em células saudáveis, o ozônio aumenta a atividade enzimática antioxidante, também pode matar diretamente as células cancerígenas, pode estabilizar as células cancerígenas limítrofes, tornando-as mais propensas a cicatrizar, e pode estimular a apoptose ou morte celular programada, da célula cancerígena. A terapia com ozônio também estimula a produção de enzimas antioxidantes pelo corpo. Essas enzimas são capazes de inibir o estresse oxidativo. Com o câncer, o estresse oxidativo persistente foi identificado como um fator na progressão e metástase do câncer.


Em um estudo de 2004 a terapia com ozônio melhorou a oxigenação nos tumores mais hipóxicos.


Lembre-se, em seu nível mais rudimentar, qualquer pessoa com câncer tem deficiência do sistema imunológico. Assim, embora o foco esteja no câncer, o paciente também é mais suscetível a outros processos infecciosos por causa da deficiência do sistema imunológico do paciente. Estudos que examinam como o ozônio médico pode ser benéfico para a saúde, inativando bactérias, vírus, fungos, parasitas, leveduras e protozoários, estimulando a cicatrização, melhorando a circulação, purificando o sangue e a linfa, melhorando a função e a memória do cérebro e melhorando a circulação. Estes são apenas alguns dos benefícios para a saúde desta molécula de tri-oxigênio para todos, saudáveis ou doentes.


Quais são os outros benefícios da terapia com ozônio?


Os pesquisadores ainda estão explorando os inúmeros benefícios da ozônio e seus muitos usos médicos para tratar doenças. Em uma revisão de 2011, fontes confiáveis relataram que a terapia com ozônio beneficiou os pacientes que sofriam de:


· Inflamação da artrite

· Câncer

· Infecções por feridas

· Diabetes

· Deficiências do sistema imunológico

· Infecções virais (HIV e SARS)

· Doença cardíaca isquêmica

· Degeneração macular

· Cavitações e infecções dentárias


Quais são os efeitos colaterais da terapia com ozônio?


Centenas de milhares de tratamentos de ozônio são administrados em todo o mundo diariamente. Apesar do volume de tratamentos, há muito poucos eventos adversos relatados.


A terapia de ozônio IV, quando administrada por equipe médica treinada, é segura e tem pouco ou nenhum efeito colateral. A equipe experiente regulará a dosagem e monitorará o paciente durante todo o tratamento.


Quando administrado incorretamente em altas doses ou por inalação acidental, os efeitos colaterais da terapia com ozônio podem incluir olhos irritados, queimação na garganta, náuseas, dores de cabeça, danos pulmonares, coágulos sanguíneos e embolia gasosa. No entanto, quando doseada adequadamente a terapia causa pouco ou nenhum efeito colateral. É por isso que é muito importante receber essa terapia apenas em um centro médico experiente e terapeutas.


Em um estudo de 1980 realizado pela Sociedade Médica Alemã de Terapia com Ozônio, eles examinaram os resultados de mais de 5.579.238 tratamentos de ozônio, abrangendo 644 terapeutas e 384.775 pacientes. Destes, houve apenas 0,000007%, (40 casos) de efeitos colaterais observados. O ozônio estatisticamente provou ser uma das terapias médicas mais seguras disponíveis.




0 visualização0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page