top of page

Curar Traumas Passados



Acontecimentos passados, grandes ou pequenos, podem deixar uma cicatriz duradoura na nossa consciência.


É provável que muitos de nós já tenhamos passado por algum tipo de trauma durante a vida, seja doença ou lesão grave, morte de um ente querido, abuso emocional ou físico ou o rompimento de um relacionamento sério. Qualquer tipo de trauma, grande ou pequeno, pode ser angustiante, mas o problema é o seguinte: além de ser difícil no momento, o trauma também pode fazer com que percamos o contato com nosso senso central de identidade, o que pode ter um impacto devastador sobre nós. nosso bem-estar mental. Nosso eu autêntico está no cerne de quem todos somos e de nossa essência.


Nascemos como o nosso eu autêntico e ele está sempre presente, mas quando passamos por um trauma, muitas vezes nos apresentamos como parte de nós mesmos. Isso pode parecer uma pessoa irritada, ansiosa ou até mesmo alguém que agrada as pessoas, mas sempre há uma razão para isso, já que não nascemos como nenhuma dessas partes.


Não é necessariamente o trauma em si que causa o problema, mas a forma como lidamos com ele; a narrativa que construímos em torno disso e como isso molda nossas crenças sobre nós mesmos. Por exemplo, se alguém próximo de nós nos diz repetidamente que não valemos nada e que somos inúteis, começamos a acreditar nisso, e pode ser difícil ir além dessas camadas e separar quem realmente somos daquilo que vivenciamos. Vejo muitas citações sobre pessoas que se encontraram como se tivessem perdido algo ao longo do caminho.


Na verdade, esse senso de identidade está sempre presente, só que fica obscurecido pelas experiências ao longo do tempo. Retirar essas camadas, processá-las, compreender de onde vêm suas crenças fundamentais e quebrar o ciclo de padrões inúteis de comportamento e hábitos é muitas vezes o primeiro passo para curar e redescobrir quem você é como pessoa, além da dor emocional e física.


Sinais de trauma


Então, como sabemos se carregamos consigo traumas do passado? Os sinais não se limitam ao nosso bem-estar mental; eles também podem aparecer na forma física. Por exemplo, se você precisar ver alguém que você conhece e que não é uma pessoa legal e começar a sentir dor de cabeça, seu sistema pode estar percebendo o perigo dessa pessoa, mesmo que ela não seja realmente uma ameaça à vida. Sua dor de cabeça pode ser uma parte protetora que aparece para impedi-lo de vê-la por causa do potencial de dor.


Nossos corpos são muito bons em nos avisar, da maneira que melhor ouvirmos, se algo não estiver certo e muitas vezes sabemos antes de fazê-lo conscientemente. O que muitos de nós não entendemos é que se não tivermos uma saída para as nossas emoções, elas não vão embora, por mais que tentemos enterrá-las. Uma das minhas citações favoritas é de Henry Maudsley, que disse. A tristeza que não tem expressão nas lágrimas pode fazer chorar outros órgãos e é absolutamente verdade. Muitos clientes que tenho atendido ao longo desse último ano chegam até mim com problemas de saúde ou dores físicas e quando fazemos uma sessão de EFT (Técnica de Libertação Emocional]), eles descobrem que são na verdade manifestações de emoções reprimidas, traumas ou necessidades não atendidas. Ao dar-lhes essa compreensão sobre por que essas questões surgiram em suas vidas, dá à pessoa o poder de passar pelas coisas mais rapidamente e começar a incutir melhores hábitos de pensamento e ação em suas vidas.


Conheça os sinais



Alguns dos sinais comuns de trauma incluem:


  • Repetir padrões de comportamento que não são construtivos

  • Pensamentos intrusivos ou em loop

  • Confusão

  • Mudanças de humor

  • Ansiedade e depressão

  • Ataques de pânico

  • Isolamento social

  • Comportamento evitativo

  • Insônia

  • Dor física

  • Comportamentos obsessivos e compulsivos


Cure seu trauma


Experimente estas dicas se você acredita que pode estar se apegando a traumas do passado


Reserve um tempo para processar sua dor


Grande parte da dor emocional que carregamos conosco já existe há anos, então não se pressione para liberar tudo de uma vez. Aprenda a ser um observador de seus pensamentos quando surgir um pensamento negativo, observe que emoção ele desencadeia em seu corpo e a sensação física que ele cria. Permitir-se superar a dor e processá-la com cuidado é crucial para o processo de cura.


Afaste-se de coisas e pessoas que não servem mais para você


Uma vez que você esteja ciente dos hábitos de pensamento e ações que o têm impedido, você provavelmente começará a ver os gatilhos sejam pessoas, situações, determinados ambientes. Veja como essas coisas estão afetando você, física e emocionalmente. Viver como o seu eu verdadeiro e autêntico tem tudo a ver com viver a vida do seu jeito, então, se algo ou alguém está te derrubando, comece a confiar nessa intuição e afaste-se dela. Estamos condicionados a sempre recorrer à lógica, mas sabemos inatamente o que é certo para nós e aprender a confiar em nós mesmos é crucial na jornada para viver a vida de forma autêntica.


Passe algum tempo se reconectando com você mesmo


Muitas vezes, ficamos tão perdidos no dia a dia que quando paramos para olhar quem somos, percebemos que na verdade não sabemos. Portanto, passe algum tempo conectando-se consigo mesmo novamente. Medite, comece a fazer atividades que você gosta, redescubra o que você gosta de fazer, o que o ilumina, o que o apaixona e reserve um tempo para fazê-lo.


Estabeleça uma rotina de autocuidado


O autocuidado é muito importante, então comece uma nova rotina de atividades que façam você se sentir bem. Coma alimentos saudáveis, medite, faça longas caminhadas na natureza, comece um novo hobby, faça exercícios, tome um banho longo e quente, comprometa-se a ler mais, faça qualquer coisa que o faça sentir-se bem consigo mesmo.






1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント

5つ星のうち0と評価されています。
まだ評価がありません

評価を追加
bottom of page